Bem-vindo à BOL. O nosso site usa cookies e outras tecnologias para personalizar a sua experiência e compreender como você e os outros visitantes usam o nosso site.
Para ver uma lista completa das empresas que usam estes cookies e outras tecnologias e nos informar se podem ou não ser utilizadas no seu dispositivo, aceda à nossa página de política de cookies.

Concordo
Distrito Sala
Detalhe Evento
ALCESTE

ALCESTE

Música & Festivais | Ópera

Teatro Nacional S. Carlos

Sala Principal
Classificação Etária
Maiores de 6 anos
Bilhete Pago
Todas as Idades
2019
jan
21
a
2019
jan
27
Realizado

Duração

180 minutos

Promotor

OPART - Organismo de Produção Artística, EPE

Breve Introdução

ÓPERA EM TRÊS ATOS
COM LIBRETO DE RANIERI DE CALZABIGI  [1714-1795]

Direção Musical Graeme Jenkins
Encenação Graham Vick
Coreografia Ron Howell
Cenografia e Figurinos Conor Murphy
Desenho de Luz Giuseppe Di Iorio
Admète Leonardo Cortellazzi
Alceste Ana Quintans
O Sumo Sacerdote, Hércules Alexander Duhamel
Évandre Fernando Guimarães
Araldo, Apolo João Fernandes
Oráculo, um Deus dos Infernos Christian Luján

Coro dos Corifeus Raquel Alão, Ana Ferro, João Cipriano, Nuno Dias

Coro do Teatro Nacional de São Carlos
Maestro Titular Giovanni Andreoli
Orquestra Sinfónica Portuguesa
Maestrina Titular Joana Carneiro

TEATRO NACIONAL DE SÃO CARLOS
NOVA PRODUÇÃO TNSC


Antecipando o tema da fidelidade conjugal de Leonore em Fidelio (Beethoven, 1805), Alceste sacrifica a vida em troca da de seu esposo Admète, rei de Tessália. Porém, uma vez morta, Hércules desce aos Infernos e intercede junto de Apolo para que o casal possa novamente reunir-se no seu amor. Escrita entre Orfeo (1762) e Paride ed Elena (1770), Alceste (1767) é uma ópera reformista com libreto em italiano de Rainieri de Calzibigi e música de Christoph Willibald Gluck. É na partitura original de Alceste que Calzibigi e Gluck assinam o famoso manifesto onde idealizam normas  que pretendem dar à escrita e à forma operática uma maior clareza de estilo. Uma versão amplamente revista de Alceste, com libreto em francês de Leblanc du Rollet e prestação literária de Jean-Jacques Rousseau, estreia-se em Paris em abril de 1776, e é esta a que será apresentada em São Carlos. Graham Vick, após os sucessos Werther (2004) e de O Anel do Nibelungo (20062009) em São Carlos, assina agora esta nova produção com direção musical de Graeme Jenkins.


OUTRAS INFORMAÇÕES:
O Teatro Nacional de São Carlos informa que, de acordo com o Decreto-Lei n.º 23/2014, de 14 de fevereiro, os espetáculos de música e dança são destinados a maiores de 6 anos.

O Teatro Nacional de São Carlos informa, ainda, que não é permitida a entrada nas salas de espetáculos a crianças com idade inferior a 3 anos de acordo com o Decreto Lei nº. 116/83, de, 24 de fevereiro.

Não é permitido comer ou beber dentro das salas.

-
Partilhar

Serviços Adicionais